EBD

O Ensino Bíblico Gravuras

CURSO BÍBLICO: FUNDAMENTOS DA FÉ CRISTÃ

Prof. Eliseu Pereira (eliseugp@yahoo.com.br) 

LIÇÃO 9 – 2º FUNDAMENTO

A DIVINDADE DE CRISTO 

[1]          Objetivos:

a.      Entendimento: “toda a riqueza da forte convicção do entendimento, para compreendermos plenamente o mistério de Deus, Cristo” (Cl 2.2)

b.      Revelação: “Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação” (Ef 1.17);  

[2]          Afirmações sobre Cristo durante sua vida terrena (evangelhos):

a.      Incredulidade: embusteiro (Mateus 27:63); enganava as multidões;

b.      Desprezo: “Salvou os outros e não pode salvar a si mesmo”

c.      Escândalo: “Duro é este discurso; quem o pode ouvir” (Jo 6.60);

d.      Dúvida: um dos profetas, como Elias ou Jeremias (Mateus 16:14)

e.      Admiração: um bom homem (Jo 7:12).

f.        Fé e adoração: Cristo (Mt 16:16); magos (Mt 2.2); discípulos no barco (Mt 14.33); as mulheres no sepulcro (Mt 28.9); Tomé: “Senhor meu e Deus meu!”. (Jo 20.28).

g.      C.S.Lewis: as únicas opiniões disponíveis com respeito à Pessoa de Cristo são:

                         i.     mentiroso: afirmou ser Deus, mas ele mesmo sabia que era falso;

                       ii.     lunático: afirmou ser Deus, mas realmente acreditava ser Deus;

                     iii.     Senhor: afirmou ser Deus e era de fato o Deus manifesto em carne.  

[3]          Algumas afirmações sobre Cristo no Antigo Testamento:

a.      Teofania: Anjo do Senhor – manifestação de Deus;

b.      Moisés: presença de Cristo em Israel (a pedra que os seguia – 1 Co 10.4);

c.      Profetas: o espírito de Cristo nos profetas (1 Pe 1.11);

d.      Reino de Deus: “E ele será chamado Maravilhoso, Conselheiro, Deus Poderoso, Pai da eternidade, Príncipe da Paz” (Is 9.6; compare com Jr 32.18).

e.      Belém Efrata: “... de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os dias da eternidade” (Mq 5.2).  

[4]          Afirmações sobre Cristo feitas por ele mesmo:

a.      Relação inigualável com o Pai: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10:30).

b.      Autoridade para perdoar pecados: Mc 2.5;Lc 5.20.

c.      Sem pecado: (Jo 8:29,46; 18:23; Hb 4:15).

d.      Autoridade para julgar o mundo: (Jo 5.25-27; 12.48).

e.      Falar as próprias palavras de Deus: “Minhas palavras não passarão” (Mt 24:35).

f.        Único caminho para Deus: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14.6; At 4:12).

g.      Autor e Doador da vida: “O Filho do homem dá vida a quem ele quer” (Jo 5:21); Jesus é o “pão da vida” (Jo 6:48) e a “ressurreição e a vida” (Jo 11:25).

h.      Exigiu alta lealdade: ordem de negar a si mesmos e segui-lo (Lc 9:23);

i.        Exigiu ser amado acima de tudo e todos: seus seguidores deveriam amá-lo acima de tudo o mais, incluindo membros da família (Lc 14:26; Mt 10:34-39).

j.         Cumprir profecias do Velho Testamento a respeito do Messias: Lc 24:44.  

[5]          Afirmações sobre Cristo no Novo Testamento:

a.      Mistério de Deus: “revelação do mistério que desde tempos eternos esteve oculto,” (Rm 16.25; 1 Co 2.7; Ef 3.4, 9; Cl 1.26, 27; 2.2; 4.3; 1 Tm 3.16)

b.      Divindade: "nele habita corporalmente a plenitude da divindade."

c.      Imagem de Deus: Jesus é a imagem perfeita de Deus; “imagem do Deus invisível” (Cl 1.15); “expressão exata de seu ser” (Hb 1.3); 

[6]          A personalidade de Cristo:

a.      Cristo é o mistério de Deus: o Deus da antiga aliança se revelou plenamente em Cristo, a fim de consumar o seu plano de redenção (Ef 3.3,4; Rm 16.25).

b.      Deus é imutável: não há um Deus no Antigo Testamento e um Deus do Novo Testamento; tudo o que Deus é, ele sempre foi e sempre será. Deus é o mesmo, sem variação (Tg 1.17); do contrário, Deus seria um ser evoluído.

c.      Cristo é um com o Pai:  segundo o conceito da Trindade, Cristo sempre esteve em comunhão íntima  e eterna com o Pai (Jo 17.5);  

d.      Deus em carne: na plenitude dos tempos Deus se revelou em Cristo (Gl 4.4; Ef 1.10); Cristo é perfeitamente Deus (1 Jo 5.20) e perfeitamente homem (1 Tm 3.16; 2 Tm 2.5); o Ungido veio em carne (1 Jo 4.2,3; 2 Jo 1.7); 

[7]          Atributos de Jesus – Deus:

a.      Onisciência: “Conhecendo Jesus seus pensamentos, disse-lhes: “Por que vocês pensam maldosamente em seu coração?” (Mt 9.3-5); “Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento” (Cl 2.2-3).

b.      Onipresença: “onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles” (Mt 18.20); “Eis que estou convosco até o final dos séculos” (Mt 28.20).

c.      Onipotência: “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito.” “Jo 1.3) “Foi-me dada toda a autoridade nos céus e na terra” (Mt 28.18); “ há [...] um só Senhor, Jesus Cristo, por meio de quem vieram todas as coisas e por meio de quem vivemos.” (1 Co 8.6).

d.      Eternidade: “No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus. Ele estava com Deus no princípio”. (Jo 1.1-2); “Eu lhes afirmo que antes de Abraão nascer, Eu Sou!” (Jo 8.58; c/c “EU SOU O QUE SOU” (Êxodo 3:14).  

[8]          Títulos de Deus:

a.      Jesus “Jeová o Salvador”: o Novo Testamento aplica diretamente os termos para Deus a Jesus Cristo: Sl 24.10 com 1 Co 2.8: Sl 102 com Hb 1:10-12; Is 6.1 com Jo 12:36-41; Is 8.13-14 com 1 Pe 2.8; Is 40:3; Ml 3.1 com Mt 3:3;Lc 1:76;Jo 3:28; Is 42:8 com Jo 17:5; Is 44:6 com Ap 1:17-18; 2:8: 22:13-16;

b.      EU SOU – Javé: "Eu sou o pão da vida. " (Jo 6:32-35); "Eu sou a luz do mundo.” (Jo 8:12-14); “Eu sou a porta das ovelhas.” (Jo 10:7-11); “Eu sou a ressurreição e a vida.” (Jo 11:21-27); “Vocês me chamam... Senhor, e com razão, pois eu o sou.” (Jo 13:12-14; (Fp 2.9-11; Mt 8.2; 15.25).

c.      Filho de Deus (Mc 1.1): afirmação da divindade; chamar a si mesmo de Deus era pecado de blasfêmia e deveria ser punida com a morte (Lv 24.16); “Então, você é o Filho de Deus?” (Lc 22.70-71); “fazendo-se igual a Deus” (Jo 5.16-18; 10.28-36). Este título não significa inferioridade, pois Jesus também é chamado de filho de Maria, filho de Davi, mas é inferior a Maria ou a Davi.

d.      Filho do Homem: título messiânico (Dn 7.13); refere-se à humanidade de Cristo;

e.      Primogênito (Cl 1.15): superioridade sobre a criação (“primogênito dos mortos”).

f.        Princípio da criação de Deus (Ap 3.14): significa “origem da criação” (Cl 1.16,17; Hb 1.3); não significa o primeiro de uma série, mas o “meio” de criação;  

g.      Unigênito (Jo 1:14,18; 3:16,18; 1 Jo 4:9): significa único e singular – mono (único) + genus (tipo, espécie) – ver Jd 4. Em Hb 11:17, Isaque é chamado de unigênito de Abraão, mas não era o único filho nem o mais velho. Isaque era o herdeiro da promessa. Assim Cristo é "primogênito", "unigênito", mas também "herdeiro de todas as coisas" e o sustentador de todas as coisas (Hb 1:2, 3). 

[9]          Afirmações para pensar:

a.      Jesus é totalmente homem: é Deus manifestado em carne. Ele pode assumir perfeitamente o lugar do homem perante a lei de Deus. Ele foi tentado em todas as coisas, mas não pecou em nenhum aspecto; o Cordeiro Santo de Deus foi totalmente aprovado para oferecer a expiação pelos pecados dos homens.

Jesus é totalmente Deus: apenas Deus poderia satisfazer plenamente a justiça de um Deus santo; a morte de qualquer homem seria apenas o cumprimento da própria sentença por seus pecados; Deus é o justo e o justificador dos que crêem: “Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus” (Rm 3.26).